segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Como aprimorar as descrições na sua ficção

Como aprimorar as descriçõesTodos nós podemos escrever ficção. É do ser humano criar histórias, personagens e paisagens ficcionais. Mas o que separa a boa ficção da ficção comum, é a capacidade dela nos convencer de sua veracidade, de sua possibilidade imaginativa. E para isso, as descrições dos cenários precisam ser vívidas, colocar leitoras e leitores dentro da história.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Resenha - Sentimento do Mundo - Carlos Drummond de Andrade

Olá, pessoal. Neste post farei uma resenha, uma análise de uma das obras escolhidas pela Fuvest para a prova deste ano a fim de dar uma ajuda a quem irá prestar o vestibular. É importante frisar que, provavelmente, não cairão questões que se restrinjam aos temas abordados aqui.

Esta resenha, no entanto, serve para conhecer melhor o contexto da obra e sua linha geral para entender mais facilmente as questões selecionadas. É aconselhável que se tenha bons conhecimentos de história e geopolítica, pois a prova irá propor questões multidisciplinares.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

A Subjetividade na Poesia

Gostaria de compartilhar com vocês uma reflexão minha acerca da Subjetividade como característica do texto poético. Na verdade, é uma reflexão que cabe às outras formas de arte, mas tratarei especificamente em relação à poesia, até por ser mais expressivo, pois ela trabalha com as palavras, assim como nosso pensamento. Nós assimilamos o mundo a nossa volta através das palavras, assim traduzindo-o, racionalizando-o. No entanto, antes de falarmos da poesia, vamos definir Subjetividade. E para fazer isso de uma maneira mais completa, precisaremos definir também o que é Objetividade.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

1ª Antologia 100 Trovas sobre Futebol

Lançada pelo blog Antologia Brasil Literário, a 1ª Antologia 100 Trovas sobre Futebol foi organizada pelo poeta e pesquisador Antônio Cabral Filho e contou com a participação de vários trovadores e escritores de todo o Brasil, inclusive este humilde que vos escreve (página 25).

Esta Antologia é uma homenagem ao futebol, esporte que, sob suas diversas facetas, participa das vidas de todos os brasileiros, até mesmo dos que não gostam, desde que se reconhecem por gente, mas que parece estar em um patamar baixo da cultura nacional, como disse o organizador da Antologia:


terça-feira, 8 de julho de 2014

10 dicas para escrever e ler Poesia

Como está muito difícil arrumar tempo para postar no blog e não gostaria de deixar a poeira tomar conta, achei por bem escrever este post rápido, porém, útil para quem está começando a escrever seus poemas. É bom também para quem gosta de poesia e quer aprender algumas dicas para entender a arte um pouquinho mais.

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Análise - Morte e Vida Severina de João Cabral

O poema Morte e Vida Severina foi publicado no ano de 1955 e é considerado a obra-prima do grande escritor pernambucano João Cabral de Melo Neto. Como toda obra-prima, tem vários aspectos que podem ser ressaltados:

  • É um poema dramático, ou seja, descreve em forma de diálogos as ações de seus personagens e possui uma estrutura que lembra um roteiro de peça teatral, como a introdução do leitor a cada cenário novo pelo narrador. A obra foi, inclusive, transformada em peça em 1965;
  • Aliás, o esquema de narração é em terceira pessoa, porém, a maior parte do poema é narrada pelo protagonista, em forma de diálogo com o leitor;

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Curso grátis de Redação para ENEM e Vestibular

Escrever uma boa Redação também faz parte do aprendizado da Escrita Criativa e, portanto, é material para o Blog Poesia e Escrita. Assim como todos os outros tipos de texto, a Redação possui suas técnicas e estruturas específicas que podem ser aprendidas para melhorar o desempenho de quem vai escrevê-la.

quarta-feira, 20 de março de 2013

De que servem os Padrões na Poesia?

Li um interessante texto na internet que fala sobre a convivência do Caos e da Forma na Poesia, representadas, respectivamente, pelos deuses Dionísio e Apolo. Assim como nas outras artes, na Poesia, o aspecto caótico do ser humano é colocado dentro de Padrões Formais para controlá-lo e, assim, transmiti-lo. Esse texto me levou às seguintes reflexões.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O Amor e o Clichê na Poesia

É bem comum as pessoas quando iniciam no mundo da Poesia, seja como escritores ou como leitores, confundirem-na com textos que falam de Amor ou sentimentos dos mais íntimos, "profundos", dizem. Por tal motivo, sempre que tenho a oportunidade, indico a quem quer desbravar a arte poética que escreva sobre outros assuntos, para que não caiam neste clichê, e que deixem estes temas mais batidos para depois, quando já tiverem certa experiência.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A Literatura e os natais que não vemos

Acredito que a Literatura, assim como toda Arte, tem o poder e, mais que isso, tem o dever de sair do lugar-comum, de ser desbravadora, inquieta, subversiva. Ser a "pulga atrás da orelha" à nossa visão política, aos costumes, ao bom-senso, aos paradigmas e às fés. Enfim, ser um caminho de transgressão a tudo aquilo que nos é certeza como sociedade. 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A Poesia Concreta (a Décio Pignatari)

Infelizmente, no domingo passado, dia 2 de dezembro de 2012, o Brasil perdeu mais um de seus grandes poetas. Faleceu Décio Pignatari, grão-expoente do Concretismo brasileiro. Em sua homenagem, então, escrevo este post sobre a Poesia Concreta, que me parece sofrer de preconceitos e más interpretações. 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Prêmio Valdeck A. de Jesus 2008: Baixe o livro grátis!

O poeta Valdeck Almeida de Jesus promove (ou promovia, até então) todos os anos um concurso literário que leva seu nome. Desse concurso uma antologia é extraída com os melhores poemas.

Na edição 2008, foram 242 poetas selecionados. Naquela ocasião, fui o laureado com a primeira colocação entre tanta gente boa, com o poema "Retrato urbano".


sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Estrofes não são parágrafos!

Olá, pessoal. 

Depois de algum tempo, volto a escrever no Poesia e Escrita. Para esse post, escolhi um assunto que me parece muitas vezes ser uma dúvida, principalmente para aqueles que estão começando a escrever. 

O que é uma estrofe? Como separar meu poema em estrofes? Por que separá-lo, afinal? 

Muita gente acha que a estrofe na Poesia funciona como o parágrafo na Prosa. Não é bem por aí. Apesar de o parágrafo ser, também, um divisor, por assim dizer, na Prosa, sua definição é baseada no assunto tratado, ou seja, ele engloba uma ideia (ou um recorte de tempo definido), do começo ao fim, sendo que ele possui certa autonomia de seus pares no texto.